sábado, 15 de maio de 2010

CAPÍTULO 2 - RESTRIÇÃO ORÇAMENTÁRIA

1. A princípio, o consumidor defronta-se com a reta orçamentária p1x1 + p2x2 = m. Depois, o preço do bem 1 dobra, o do bem 2 passa a ser oito vezes maior e a renda quadruplica. Escreva uma equação para a nova reta orçamentária com relação aos preços e à renda originais.
R: A resposta para a questão é simples, basta fazer a substituição na equação que define a reta orçamentária do consumidor. A reta orçamentária é o conjunto de cestas que custam exatamente m, como a equação do enunciado:

p1x1 + p2x2 = m

O que essa equação diz é que, dada a renda do sujeito, e dado o preço do bem 1 e do bem 2 (sendo que um dos bens pode ser algo específico e outro simbolizar todo o restante das mercadorias), o consumidor terá de encontrar as quantidades x1 e x2 que se adequem à essas condições. Logo, qualquer alteração nos preços ou na renda é considerada exógena, devendo ser incluída imediatamente na equação. A nova reta orçamentária então será dada por 2p1x1 + 8p2x2 = 4m.

2. O que ocorre com a reta orçamentária se o preço do bem 2 aumentar, mas a renda e o preço do bem 1 permanecerem constantes?
R: Essa é uma questão clássica. Pensando intuitivamente, podemos observar que o consumo do bem 2 deverá diminuir enquanto o consumo do bem poderá ser mantido o mesmo. Observe que não estamos considerando que haja uma realocação da renda entre as proporções de consumo de cada bem. Em termos analíticos, podemos ver no gráfico que a reta se tornará menos íngreme, ou seja, o ponto onde a reta orçamentária corta x2 no eixo das ordenadas irá se aproximar de zero.

3. Se o preço do bem 1 duplicar e o do bem 2 triplicar, como ficará a reta orçamentária: mais inclinada ou menos inclinada?
R: Parecido com a primeira questão. Basta raciocinar que o preço que aumentar mais será aquele que se aproximará mais de zero. Se for o preço do bem 1 que aumentar mais, então a reta se tornará mais inclinada (considerando que o bem 1 é geralmente medido no eixo das abscissas). Se o preço do bem 2 aumentar, a reta tende a se tornar mais plana. Considerando o que o enunciado diz, o preço do bem 2 aumentará mais do que o do bem 1, tendendo a tornar a reta mais plana (menos inclinada). Analiticamente, podemos ainda pensar como a inclinação da reta ficará. Dado que atualmente (sem alterações nos preços), essa inclinação é dada por - p1/p2, depois da mudança ela passará a ser - 2p1/3p2, que é menor do que 1, e logo menor do que a condição anterior. Ou seja, a inclinação da reta diminuirá, tornado-a mais plana.

4. Qual a definição de um bem numerário?
R: Bem numerário é um bem que servirá como referência para se averiguar mudanças no preço de um outro bem e da renda. O nome advém de que isto é feito fixando-se o preço do bem que se prentende como numerário, como igual a 1.

5. Imaginemos que o governo baixe um imposto de US$0,15 sobre o galão da gasolina e depois resolva criar um subsídio para a gasolina a uma taxa de US$0,07 por galão. Essa combinação equivale a que taxa líquida?
R: A resposta mais simples é a correta. Se ele aumenta o preço em 15 centavos e diminui em 7 centavos, então o aumento será de oito centavos.

6. Suponhamos que a equação orçamentária seja dada por p1x1 + p2x2 = m. O governo decide impor um imposto de montante fixo de u, um imposto t sobre a quantidade do bem 1 e um subsídio s sobre a quantidade para o bem 2. Qual será a fórmula da nova reta orçamentária?
R: Basta aplicarmos estas condições à cada um dos parâmetros da reta orçamentária. O imposto sobre montante fixo se aplica a ambos os bens, então na verdade, podemos considerá-lo como algo que é subtraído da renda do consumidor (já que ele será cobrado fixamente, independente da quantidade):
(p1)x1 + (p2)x2 = m - u

O segundo imposto t se aplica somente ao bem 1:

(p1 + t)x1 + (p2)x2 = m - u
O subsídio se aplica ao bem 2:

(p1 + t)x1 + (p2 - s)x2 = m - u

Esta última, será a nova equação da reta pedida.

7. Se, ao mesmo tempo, a renda de um consumidor aumentar e um dos preços diminuir, estará ele necessariamente tão próspero quanto antes?
R: Logicamente sim. Porque todas as cestas que antes esse consumidor acessava continuam a serem acessadas por ele.


3 comentários:

  1. Na questão de número 7, o cunsumidor estaria mesmo tão próspero quanto antes ou ele estaria mais próspero que antes? Já que sua renda aumente e o custo de um dos bens diminui...

    Sendo assim, a resposta seria "não"? Levando en consideração o fato de que a pergunta poderia estar comparando a prosperidade tanto em parametros positivos quanto negativos...

    (Dúvida de um calouro)

    ResponderExcluir
  2. Respondendo a questão acima...
    À economia lida com "possibilidades", logo, se a renda do consumidor aumenta e o preço de certo produto cai, ele pode consumir mais com o mesmo que gastava e pode consumir ainda mais devido ao aumento da renda. O aumento da área do gráfico é apenas uma ideia do que pode acontecer...

    ResponderExcluir
  3. Eii, eu tenho o exercício 1 em minhas atividades, a equação eu fiz certinho, mas além disso o exercício pede pra esboçar graficamente a primeira situação e o deslocamento referente a segunda situação, perguntando o que acontece com minha inclinação? Se puder me auxiliar, vai ser grande ajuda. Obrigado.

    ResponderExcluir